Sociedades Anônimas das Navegações

Se você investe em ações (se não investe saiba como) então você já deve saber o que é uma sociedade anônima. Neste post quero falar de 2 grandes sociedades anônimas do século XVII.

A sociedade anônima é dividida por ações e qualquer pessoa pode comprar essas ações. Por várias pessoas poderem ser sócios, a sociedade é anônima isto é, não se sabe o dono.

E voltando a assunto, na época das grandes navegações existiam 2 sociedades anônimas famosas. Elas são:

  • Companhia das Índias Ocidentais
  • Companhia das Índias Orientais

Vamos ver mais sobre cada uma.

Companhia das Índias Ocidentais

Companhia-das-Índias-Ocidentais

Ela foi uma empresa holandesa criada em 1621 para fazer frente à Portugal e Espanha. Na época esses países eram potências navais e mantinham o monopólio comercial entre América e Europa.

O principal objetivo da Companhia das índias Ocidentais era fazer guerra econômica contra Espanha e Portugal. Com o tempo a empresa conquistou várias colônias nas Américas, incluindo Curaçao, San Martin e Aruba.

A empresa também exerceu grande domínio no Brasil entre 1630 e 1654. Nesta época parte do Brasil era colônia holandes e este pedaço de terra chegou a ser chamado de Nova Holanda.

Em 1791 a Companhia das Índias Ocidentais foi assumida pelo Estado holandes. A empresa acabou sendo dissolvida com a invasaõ da França na Holanda 3 anos depois.

Companhia das Índias Orientais

orientais

Foi uma empresa britânica fundada em 1600 e teve como objetivo fazer comercio com os países do oriente. A empresa recebeu da rainha Isabel I o monopólio de comércio com as ìndias.

Teve grande influência na Índia onde inicialmente foucou em manter um lucrativo comércio. Posteriormente a Companhia Britânica das Índias Orientais chegou a governar grandes pedaços daÍndia com o seu próprio exército privado.

ENtre 1757 e 1858 a empresa governou sozinha pedaços da Índia. Após isso o governo brtânico assumiu diretamente o controle.

A empresa se dissolveu em 1874 por problemas financeiros.

Anúncios

Saladino e sua Influência nos Cavaleiros Medievais

Você já deve ter ouvido falar sobre os cavaleiros medievais. Eles tinham um certo código de conduta acerca de como se comportar nas batalhas e como tratar os prisioneiros.

Muita gente hoje em dia acha que esse código veio dos valores cristãos, do Papa, da Igreja ou de alguma filosofia ocidental. Sim, tudo isso contribuiu para formar o código.

O que poucos sabem é que um personagem histórico muçulmano famoso, foi uma das inspirações para ele. O nome dessa pessoa é Saladino.

Salá Adim, ou Saladino para nós, foi um líder muçulmano de uma região que compreendia a Síria e o Egito. Ele reuniu povos islâmicos em oposição aos cruzados.

Como foi sua influência no modo de conduta dos cavaleiros

Quando Jerusalém estava sob domínio cristão, Saladino reuniu um grande exército para tomar a cidade. Ninguém do lado muçulmano aceitaria outro resultado que não fosse a cidade sob o domínio do Islã.

E foi o que realmente aconteceu.

Mas o que chamou a atenção foi que ele deixou cristãos irem embora sem matá-los ou fazer prisioneiros. Ainda, concedeu permissão para que cristãos rezassem em Jerusalém.

Conta-se que depois de vencer a batalha Hattin contra os exércitos do rei de Jerusalém, este rei ficou sob a espada de Saladino e ele lhe ofereceu água e disse que um rei não deveria matar outro rei.

Em outra cruzada, já com Jerusalém sob domínio muçulmano, o rei Ricardo da Inglaterra estava lutando contra os exércitos de Saladino quando perdeu seu cavalo. Saladino mandou 2 cavalos para o rei dizendo que um rei não deveria lutar a pé.

Em suas incursões, Saladino sempre levava intérpretes do Corão e da Sharia, a lei sagrada do Islã. Assim, ele sempre se preocupava em respeitar a Sharia e o Corão.

Essa fama de justo e generoso correu o mundo e chegou ao ouvido dos cristãos. Eles se perguntavam quem era esse infiel que os combatia mas ao mesmo tempo seguia e praticava todos os valores ensinados pelo cristianismo.

Essa história você pode ver melhor assistindo ao vídeo abaixo. É sobre um documentário feito no programa Arquivos Confidenciais, do National Geographic Channel.

Tulipas da Holanda

Quando falamos em bolsa de valores logo pesamos em investidores preocupados em escolher as melhores ações para investir. Mas sabia que na bolsa de valores de Amsterdam se negociavam contratos para comprar flores?

Essa história é muito famosa e vou contar o que se aqui. Foi uma dos primeiros crashs de bolsa de valores.

Como Tudo Começou

Em 1593 existia um botânico chamado Carolus Clusius. Após ele fazer uma viagem a Istambul, que na época se chamava Constantinopla, em homenagem ao imperador Romano Constantino, ele trouxe para Amsterdam uns bulbos de tulipas.

O objetivou de Clusius era usar essas plantas para fins medicinais. Acontece que quando ele plantou essas tulipas, elas chamaram a atenção das pessoas da região.

Algumas dessas pessoas roubaram alguns bulbos para plantar e revender. Assim, essas flores passaram a ser simbolo de status e logo o país inteiro ficou atrás de tulipas.

tulip-yellow-yellow-tumor-tulips-86754.jpeg

Primeiro Mercado de Derivativos do Mundo

Os bulbos de tulipas não florescem entre 7 a 12 anos após o plantio. Quando as flores começam a aparecer dura uma semana entre maio e abril e os bulbos aparecem entre junho e setembro.

Com essa dificuldade, especuladores criaram contratos de tulipas para poder negociar o ano inteiro. No contrato dizia que o assinante tinha o dever de comprar uma tulipa ao final de uma temporada, exatamente como os contratos futuros de hoje.

Então, surgiram as negociações de contratos de tulipas. Um dos primeiros mercados de derivativos do mundo.

A Loucura das Tulipas

As tulipas viraram mania em toda a Holanda. Além de Amsterdam, contratos eram negociados em Haarlem, Rotterdam, Leyden e outras cidades do país.

Quanto mais rara era a tulipa mais valiosa ela era, pessoas vendiam todos os seus bens em troca de um simples bulbo. Muitas vezes o dinheiro de um simples bulbo poderia sustentar por meses a tripulação de um navio.

Houve até mesmo algumas vendas em outras bolsas da Europa, como em Londres e Paris, mas não chegou ao mesmo sucesso como em Amsterdam.

O Crash

Apesar do sucesso e do valore absurdo o qual chegaram as tulipas, na verdade a pessoa estava pagando um rio de dinheiro por uma simples planta. Isso iria durar até alguém perceber o que estava acontecendo.

Foi então que no inverno de 1636 para 1637 um comprador de Haarlem não honrou o contrato. Isso gerou um pânico e em alguns dias o preço das tulipas despencaram.

Pessoas que haviam trocado todos os bens para ter uma tulipa agora tinham somente uma planta sem valor de mercado. O governo ainda tentou fazer uma oferta para valores a um décimo do preço original dos contratos. O problema é que isso piorou ainda mais a situação.

Esse crash das tulipas mergulhou o país em uma depressão que durou vários anos. Durante muito tempo houve muita desconfiança a investimento por parte das pessoas da Holanda.

Finalizando

Pelo que vi e sei é mais ou menos isso que queria escrever sobre as tulipas da Holanda. Você pode saber mais clicando aqui.

Espero que você tenha gostado do post.

Seja Bem Vindo!

Olá!

Este é um blog sobre viagem no tempo. Em cada post vou procurar levar você leitor, ao passado de uma forma muito interessante.

Aqui vamos falar sobre curiosidades da história, causos e contos que aconteceram no passado e que até hoje são lembrados. Não sou professor de história mas gosto muito do assunto.

Vou procurar falar sobre o Brasil e sobre o mundo. Em cada post vamos fazer uma viagem e ver a vida e a época do assunto falado.

Eu se você gosta de história, no sentido de ciência mesmo, de realidade, então acho que você vai gostar dos posts que estão por vir.

Não vou contar a coisa fantasiada como no filme 300. A primeira vez que vi foi uma decepção pois achei que era um filme histórico. Depois eu entendi que aquilo era uma história em quadrinhos.

Como gosto mais das coisas como eram mesmo então não vou procurar fazer muita fantasia. Falarei o que sobre o que aconteceu mesmo.

Se não souber vou falar que não sei se souber vou falar e pronto. O importante é que vou me manter o mais fiel a realidade.

Portanto se gostou, continue acompanhando pois os próximos posts serão bem interessantes.

Bem vindo e seja mais um viajante do tempo.